Pular para o conteúdo principal

PORQUE OS BEATLES SÃO OS BEATLES - JADER PIRES

Porque os Beatles são os Beatles


Vamos organizar as ideias.
Boyhood: da infância à juventude é um filme do diretor Richard Linklater — de Escola do Rock e da trilogia Antes do Amanhecer/Antes do pôr-dos-sol/Antes da meia-noite — que levou 12 anos para ser feito. A história acompanha a vida de um garoto, dos seis aos dezoito anos e foi filmado ano a ano para pegar o crescimento do mesmo ator/protagonista e do envelhecimento dos mesmos atores que o acompanham.
O que vem adiante é um trecho de uma carta que aparece no filme. Claro que o recorte mínimo não estraga em absoluto o enredo, mas é sempre bom avisar que se trata, sem, de um spoiler.
Dito isso, vamos ao que interessa.
The Beatles, já com o Ringo Starr. Liverpool, 1961 (clique para ver a imagem maior)
The Beatles, já com o Ringo Starr. Liverpool, 1961 (clique para ver a imagem maior)
Aos 15 anos, o garoto ganha um disco do pai. É uma coletânea que seu velho fez dos Beatles, intitulado Black Álbum.
Fiquei sabendo dessa história via BuzzFeed, que publicou a carta produzida pelo ator para sua filha e adaptada para o personagem principal do filme, Mason. Na cena que o presente é mencionado, parte dessa explicação é citada pelo pai do garoto.
Disso, o Matias, que faz o Trabalho Sujo na mesma casa, pegou parte da tradução que resume bem o porque os Beatles foram os Beatles:
* * *
“Li uma história sobre a morte da mãe do John:
Ele era um adolescente revoltado – com um canivete no bolso, cigarro nos lábios e sexo na cabeça. No funeral da mãe desequilibrada e recém-falecida (que ele havia acabado de ficar mais próximo), ele – bêbado e puto – socou um membro da banda e deu o fora. Alguns anos mais novo, o Paul – um moleque que ainda não ligava muito pra garotas, ainda UNCOOL e presente na banda graças às suas habilidades com a guitarra apesar de ser meio infantil – correu atrás do John na rua dizendo: “John, por quê você está sendo tão babaca?”.
O John respondeu, “Minha mãe acabou de morrer, porra!”
E o Paul disse, “Você nunca perguntou sobre a minha mãe.”
“O que tem ela?”
“Ela também está morta.”
Eles se abraçaram no meio da rua. Aparentemente o John disse, “Podemos por favor começar uma porra de banda de rock’n'roll?”.
Essa história respondeu a dúvida presente no meu cérebro ao longo de todo minha vida como ouvinte de música: Se os Beatles estiveram juntos ao longo de apenas 10 anos e os membros da banda eram tão novos ao longo desse período, como eles conseguiram escrever “Help!”, “The Fool on the Hill”, “Eleanor Rigby”, “Yesterday” e “A Day in the Life?” Eles eram apenas caras de 25 anos cercados por garotas em frente aos seus hotéis e com direito ao tanto de champagne que um moleque consegue beber. Como eles conseguiram desenvolver suas mentes para feitos artísticos tão grandiosos?
Eles conseguiram pois estavam sofrendo. Eles sabiam que o amor não dura pra sempre. Eles descobriram isso ainda muito novos.”
* * *
Abaixo, a playlist da coletânea do “Black Álbum“:

Disco 1:

1. Paul McCartney & Wings, “Band on the Run”
2. George Harrison, “My Sweet Lord”
3. John Lennon feat. The Flux Fiddlers & the Plastic Ono Band, “Jealous Guy”
4. Ringo Starr, “Photograph”
5. John Lennon, “How?”
6. Paul McCartney, “Every Night”
7. George Harrison, “Blow Away”
8. Paul McCartney, “Maybe I’m Amazed”
9. John Lennon, “Woman”
10.Paul McCartney & Wings, “Jet”
11. John Lennon, “Stand by Me”
12. Ringo Starr, “No No Song”
13. Paul McCartney, “Junk”
14. John Lennon, “Love”
15. Paul McCartney & Linda McCartney, “The Back Seat of My Car”
16. John Lennon, “Watching the Wheels”
17. John Lennon, “Mind Games”
18. Paul McCartney & Wings, “Bluebird”
19. John Lennon, “Beautiful Boy (Darling Boy)” 20. George Harrison, “What Is Life”

Disco 2:

1. John Lennon, “God”
2. Wings, “Listen to What the Man Said”
3. John Lennon, “Crippled Inside”
4. Ringo Starr, “You’re Sixteen You’re Beautiful (And You’re Mine)”
5. Paul McCartney & Wings, “Let Me Roll It”
6. John Lennon & The Plastic Ono Band, “Power to the People”
7. Paul McCartney, “Another Day”
8. George Harrison, “If Not For You (2001 Digital Remaster)”
9. John Lennon, “(Just Like) Starting Over”
10. Wings, “Let ‘Em In”
11. John Lennon, “Mother”
12. Paul McCartney & Wings, “Helen Wheels”
13. John Lennon, “I Found Out”
14. Paul McCartney & Linda McCartney, “Uncle Albert / Admiral Halsey”
15. John Lennon, Yoko Ono & The Plastic Ono Band, “Instant Karma! (We All Shine On)”
15. George Harrison, “Not Guilty (2004 Digital Remaster)”
16. Paul McCartney & Linda McCartney, “Heart of the Country”
17. John Lennon, “Oh Yoko!”
18. Wings, “Mull of Kintyre”
19. Ringo Starr, “It Don’t Come Easy”

Disco 3:

1. John Lennon, “Grow Old With Me (2010 Remaster)”
2. Wings, “Silly Love Songs”
3. The Beatles, “Real Love”
4. Paul McCartney & Wings, “My Love”
5. John Lennon, “Oh My Love”
6. George Harrison, “Give Me Love (Give Me Peace on Earth)”
7. Paul McCartney, “Pipes of Peace”
8. John Lennon, “Imagine”
9. Paul McCartney, “Here Today”
10. George Harrison, “All Things Must Pass”
11. Paul McCartney, “And I Love Her (Live on MTV Unplugged)”
Agradecimentos infinitos ao Ramon Vitral, que traduziu a fala toda (leia na íntegra aqui e faça esse favor a você mesmo) e criou as três playlists que você está escutando.


Fonte:http://papodehomem.com.br/porque-os-beatles-sao-os-beatles/

Postagens mais visitadas deste blog

AS GRANDES PARCERIAS DE JOHN LENNON NO "ALÉM-BEATLES"

As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles”Como compositor, John Lennon levou Elton John e David Bowie ao topo das paradas. Como músico, ele conseguiu se entrosar com Frank Zappa e Chuck Berry, e “brincou” de supergrupo com Eric Clapton, Keith Richards e Mitch Mitchell. Na conta de encontros musicais “além-Beatles” de Lennon ainda consta o baterista do Yes Alan White e a eterna companheira, musa e parceira de composição Yoko Ono. A seguir, conheça as grandes colaborações de Lennon ao se excetuar o trabalho dele nos Beatles.

Por Lucas Brêda
As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles” Yoko Ono

A mais frutífera parceria de John Lennon depois de Paul McCartney é também a mais polêmica delas. Detestada por ex-integrantes, produtores e engenheiros de som dos Beatles (e basicamente boa parte do resto do mundo), Yoko Ono não só deu nome à principal banda que acompanhou Lennon em carreira solo (a Plastic Ono Band) como dividiu a autoria de canções como “Oh My Love” (Imagine), “…

24 ÁLBUNS PRA MANJAR MAIS QUE O SUFICIENTE SOBRE POST-ROCK

24 álbuns pra manjar mais que o suficiente sobre post-rockTudo o que era pra ser rock, mas não é
A história do gênero começou entre o finalzinho dos anos 80 e começo dos anos 90 e, como qualquer estilo, teve altos e baixos. De um tempo pra cá, no entanto, voltou a pipocar nos fones alheios, principalmente por causa de serviços como o Spotify, que disponibilizou várias playlists de post-rock. Meus amigos, por exemplo, adoram ouvir o som enquanto trabalham, embora não saibam exatamente o que estão ouvindo. Devo ter deixado, por descuido e não por maldade, alguns nomes importantes fora da lista. IsisMONO65daysofstatic e outros tantos. Por isso convido você a acrescentar outras bandas nos comentários. Com certeza será bem enriquecedor pra mim e para os outros leitores. Comecemos então definindo o que é post-rockO termo foi utilizado pela primeira vez em março 1994, batizado pelo jornalista Simon Reynolds, na resenha do álbum Hex, da banda Bark Psychosis, para a revista britânica Mojo. Doi…

PAUL MCCARTNEY : O MAIOR POPSTAR DO MUNDO

Foto de divulgação

Paul McCartney: o maior popstar do mundo

A maior noção da história do rock é a de que “tudo começou com Elvis” (Presley). Primeiro ídolo e pai do rock’n’roll, Elvis ficou para a história mais pelo ícone que representa do que pela música em si. Apaixonados por Elvis, como todos que começaram a fazer música estimulados pelo nascimento do rock’n’roll, os Beatles tornaram-se mito ainda nos anos 1960 – com seu denso trabalho autoral, numa discografia consideravelmente longa para seus meros oito anos de atividade no mercado fonográfico.

Se John Lennon era a alma dos Beatles, Paul McCartney era a música. E é com isso que há quase 50 anos o inglês James Paul McCartney encanta platéias mundo afora. Considerado o mais musical dos Beatles, e o mais melodioso da dupla Lennon & McCartney, Paul é responsável por inúmeras das maiores pérolas da banda. Em brilhante carreira solo há exatos 40 anos, desde o fim dos Beatles, Paul acumula extensa discografia – que inclui todos os dis…