Pular para o conteúdo principal

ERA TUDO HEAVY METAL FAROFA

Steel-Panther

Era tudo Heavy Metal farofa


Lá pela metade dos anos 80 apareceram bandas que traziam uma nova releitura do glam-rock. Exagerando mais ainda no visual, e um som mais pesado, do que seus modelos dos anos 70, o estilo, portanto, passou a ser chamado de glam-metal.

Enquanto o New York Dolls pareciam travestis sujos e malvados e tocavam um rock and roll de garagem, a nova turma glam estava mais para boneca barbie e lavavam os cabelos com Grecin 2000 – daí o termo Hair Metal, na verdade um termo depreciativo. O pessoal do Trash Metal tachava-os de posers ou falso-metal. Bobagem! A música muitas vezes não passava de um Hard Rock pomposo, com muitas power ballads.

Por outro lado, desenvolveu-se nesse meio um outro subgênero o Pop-Metal - bandas com visual menos andrógino e com letras visando menos sexo, bebedeiras e festas. Talvez a banda que melhor traduz esse estilo seja os ingleses do Def Leppard. Eles começaram com uma pegada bem New Wave of British Heavy Metal (NWBHM), mas, aos poucos, foram se adaptando cada vez mais à música pop radiofônica. Era uma versão mais comportada do glam-rock, misturando-se com o rock de arena e AOR dos anos 70. Tira as guitarras dessas bandas. Coloque teclados no lugar. E o que vira? Boys bands.  Bandas que seguiram essa linha são: Firehouse, Warrant, Europe e Autograph, entre outras.

No início da década de 90, com apogeu do grunge e do rock alternativo, tanto o glam-metal e o Pop-Metal entrou em decadência. Poucos sobreviveram como Bon Jovi, que souberam adaptar ao estilo pop de FM e dar uma mexida no visual. Mas a maioria pendurou as guitarras como Nitro, Poison, Cinderella, White Lion, etc.


Mas entre 1985 a 1988 o sucesso desses dois estilos foram tão grandes que até bandas consagradas no Heavy Metal, para conquistarem o mercado norte-americano,  começaram a adaptar o visual (hair metal), recheando seus álbuns de baladas, teclados e muita pose. Ozzy Osborne (fase Ultimate Sin), Judas Priest (fase Turbo), Kiss (Animalize) e Whitesnake foram artistas ingleses que entraram nessa onde por um curto período.

Abaixo algumas bandas de ambos subgêneros do Heavy Metal, embora muitas vezes esse estilos se misturavam.

Bandas de Glam-Metal
Twisted Sister

Nitro
Cinderella
Steel-Panther

Madam X

Bandas de Pop-Metal

Europe
Firehouse
Warrent

Fonte:http://mundocontroverso.blogspot.com.br/2012_07_01_archive.html

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO,DROGAS & ROCK AND ROLL

Sex, Drugs & Rock and roll
POR • 10 MAR 2017Sua Only Rock and Sex mas eu gostoQuando você olha para uma cerimônia de premiação em um muito jovem cantora pop criado por gravadoras passando a mão sentiu (aqueles com os quais estágios geléia) por uma calcinha branca que mostram através de sua depilação brasileira ao remover a língua em tentativa de estudou chocar e excitar as massas, não pode , mas pensar nisso mítica final de março 1973, quando a gravadora sueca Metronome registros deu Led Zeppelin discos de ouro para seu quinto álbum; Casas do Santo . Havia quatro membros , com seus registros na mão posando antes da câmera Bengt H. Malmqvist , enquanto em primeiro plano, um par porra vivo deitado em uma cama. Sugá-lo e não um martelo, Miley . Ninguém contesta que outros gêneros têm sido a trilha sonora de muitas noites de amor r; mas se falamos de sexo e apenas sexo (sex contemporânea, pelo menos, saber o que os romanos ouvido em suas orgias) trilha sonora é rock…

AS GRANDES PARCERIAS DE JOHN LENNON NO "ALÉM-BEATLES"

As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles”Como compositor, John Lennon levou Elton John e David Bowie ao topo das paradas. Como músico, ele conseguiu se entrosar com Frank Zappa e Chuck Berry, e “brincou” de supergrupo com Eric Clapton, Keith Richards e Mitch Mitchell. Na conta de encontros musicais “além-Beatles” de Lennon ainda consta o baterista do Yes Alan White e a eterna companheira, musa e parceira de composição Yoko Ono. A seguir, conheça as grandes colaborações de Lennon ao se excetuar o trabalho dele nos Beatles.

Por Lucas Brêda
As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles” Yoko Ono

A mais frutífera parceria de John Lennon depois de Paul McCartney é também a mais polêmica delas. Detestada por ex-integrantes, produtores e engenheiros de som dos Beatles (e basicamente boa parte do resto do mundo), Yoko Ono não só deu nome à principal banda que acompanhou Lennon em carreira solo (a Plastic Ono Band) como dividiu a autoria de canções como “Oh My Love” (Imagine), “…