Pular para o conteúdo principal

DAVID BOWIE GANHA VERSÃO EXCLUSIVA E PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO MIS


reprodução
reprodução

Entre os figurinos presentes na exposição “David Bowie” no MIS, está o macacão de vinil (Tokyo Pop) assinado por Kansai Yamamoto, usado no álbum “Aladdin Sane” (1973)

“David Bowie” ganha versão exclusiva e programação especial no MIS

O público pode ver objetos pessoais, figurinos, manuscritos, desenhos, registros de fotografias e vídeos e ainda curtir atrações como karaokê e mostra de cinema sobre o artista britânico


“Let’s Dance” no MIS ao som de David Bowie! O museu abre as portas aos fãs do astro que querem conhecer sua história e ver bem de perto objetos, figurinos, registros de fotografias e vídeos que marcaram seus quase 50 anos de carreira. A exposição “David Bowie” é organizada pelo Victoria and Albert Museum (V&A) de Londres e, pela primeira vez, pode ser vista na América Latina. Em cartaz entre 31 de janeiro e 20 de abril, tem ingressos a R$ 10. Às terças-feiras, a entrada é Catraca Livre.
“Foram muitos anos de dedicação e trabalho duro para tornar essa exposição uma realidade. Acredito que a reação do público vá ser a mesma dos londrinos com a exposição aqui no Brasil”, comentou Beth McKillop, uma das diretoras do V&A, museu que recebeu cerca de 250 mil pessoas durante a mostra em Londres.



O Catraca Livre foi conferir os cerca de 300 itens que compõem a exposição e chegou à conclusão de que é preciso ver tudo isso com os próprios olhos para entender a grandiosidade desse camaleão do rock. Logo na entrada, o visitante lê um aviso para não esquecer de pegar o fone, porque “ele é fundamental para ter uma experiência sensorial completa” – já bate aquele friozinho na barriga, aquela expectativa. E é verdade. Com o fone, é possível mergulhar no “universo Bowie” em cada espaço temático sem qualquer interferência. São inúmeros personagens e performances lendárias do astro para ver e ouvir intensamente.
Ao mesmo tempo em que é possível acompanhar suas influências artísticas e experiências com o surrealismo, o expressionismo alemão, a mímica e o teatro Kabuki, a exposição também revela intimidades de seu processo criativo e como sua obra influenciou diversos movimentos artísticos. “Bowie é internacional, global e ‘very british’”, brincou Alex Ellis, embaixador do Reino Unido.
Para completar, a mostra no Brasil tem, com exclusividade, um karaokê que o MIS montou para quem quiser soltar a voz e cantar grandes sucessos do cantor, como “Let’s Dance”, “Life on Mars?” e “Heroes”, hits que alavancaram as vendas de seus álbuns, atualmente na marca de 140 milhões.


E ainda vem muita coisa por aí! Durante o período expositivo, a programação paralela do MIS será inspirada na mostra. O museu promete oferecer uma extensa programação relacionada a David Bowie, incluindo os programas regulares, como a festa Green Sunset, o Cinematographo e o Estéreo MIS. O público ainda será presentado com mostra cinematográfica composta por todos os filmes de que o artista participou. 
Abaixo, para entrar no clima, assista ao videoclipe do clássico “Let’s Dance”, do álbum homônimo de 1983:


Postagens mais visitadas deste blog

SEXO,DROGAS & ROCK AND ROLL

Sex, Drugs & Rock and roll
POR • 10 MAR 2017Sua Only Rock and Sex mas eu gostoQuando você olha para uma cerimônia de premiação em um muito jovem cantora pop criado por gravadoras passando a mão sentiu (aqueles com os quais estágios geléia) por uma calcinha branca que mostram através de sua depilação brasileira ao remover a língua em tentativa de estudou chocar e excitar as massas, não pode , mas pensar nisso mítica final de março 1973, quando a gravadora sueca Metronome registros deu Led Zeppelin discos de ouro para seu quinto álbum; Casas do Santo . Havia quatro membros , com seus registros na mão posando antes da câmera Bengt H. Malmqvist , enquanto em primeiro plano, um par porra vivo deitado em uma cama. Sugá-lo e não um martelo, Miley . Ninguém contesta que outros gêneros têm sido a trilha sonora de muitas noites de amor r; mas se falamos de sexo e apenas sexo (sex contemporânea, pelo menos, saber o que os romanos ouvido em suas orgias) trilha sonora é rock…

ERA TUDO HEAVY METAL FAROFA

Era tudo HeavyMetal farofa
Lá pela metade dos anos 80 apareceram bandas que traziam uma nova releitura do glam-rock. Exagerando mais ainda no visual, e um som mais pesado, do que seus modelos dos anos 70, o estilo, portanto, passou a ser chamado de glam-metal.
Enquanto o New York Dolls pareciam travestis sujos e malvados e tocavam um rock and roll de garagem, a nova turma glam estava mais para boneca barbie e lavavam os cabelos com Grecin 2000 – daí o termo Hair Metal, na verdade um termo depreciativo. O pessoal do Trash Metal tachava-os de posers ou falso-metal. Bobagem! A música muitas vezes não passava de um Hard Rock pomposo, com muitas power ballads.
Por outro lado, desenvolveu-se nesse meio um outro subgênero o Pop-Metal - bandas com visual menos andrógino e com letras visando menos sexo, bebedeiras e festas. Talvez a banda que melhor traduz esse estilo seja os ingleses do Def Leppard. Eles começaram com uma pegada bem New Wave of British Heavy Metal (NWBHM), mas, aos poucos, foram…

AS GRANDES PARCERIAS DE JOHN LENNON NO "ALÉM-BEATLES"

As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles”Como compositor, John Lennon levou Elton John e David Bowie ao topo das paradas. Como músico, ele conseguiu se entrosar com Frank Zappa e Chuck Berry, e “brincou” de supergrupo com Eric Clapton, Keith Richards e Mitch Mitchell. Na conta de encontros musicais “além-Beatles” de Lennon ainda consta o baterista do Yes Alan White e a eterna companheira, musa e parceira de composição Yoko Ono. A seguir, conheça as grandes colaborações de Lennon ao se excetuar o trabalho dele nos Beatles.

Por Lucas Brêda
As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles” Yoko Ono

A mais frutífera parceria de John Lennon depois de Paul McCartney é também a mais polêmica delas. Detestada por ex-integrantes, produtores e engenheiros de som dos Beatles (e basicamente boa parte do resto do mundo), Yoko Ono não só deu nome à principal banda que acompanhou Lennon em carreira solo (a Plastic Ono Band) como dividiu a autoria de canções como “Oh My Love” (Imagine), “…