Pular para o conteúdo principal

DAVID BOWIE GANHA VERSÃO EXCLUSIVA E PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO MIS


reprodução
reprodução

Entre os figurinos presentes na exposição “David Bowie” no MIS, está o macacão de vinil (Tokyo Pop) assinado por Kansai Yamamoto, usado no álbum “Aladdin Sane” (1973)

“David Bowie” ganha versão exclusiva e programação especial no MIS

O público pode ver objetos pessoais, figurinos, manuscritos, desenhos, registros de fotografias e vídeos e ainda curtir atrações como karaokê e mostra de cinema sobre o artista britânico


“Let’s Dance” no MIS ao som de David Bowie! O museu abre as portas aos fãs do astro que querem conhecer sua história e ver bem de perto objetos, figurinos, registros de fotografias e vídeos que marcaram seus quase 50 anos de carreira. A exposição “David Bowie” é organizada pelo Victoria and Albert Museum (V&A) de Londres e, pela primeira vez, pode ser vista na América Latina. Em cartaz entre 31 de janeiro e 20 de abril, tem ingressos a R$ 10. Às terças-feiras, a entrada é Catraca Livre.
“Foram muitos anos de dedicação e trabalho duro para tornar essa exposição uma realidade. Acredito que a reação do público vá ser a mesma dos londrinos com a exposição aqui no Brasil”, comentou Beth McKillop, uma das diretoras do V&A, museu que recebeu cerca de 250 mil pessoas durante a mostra em Londres.



O Catraca Livre foi conferir os cerca de 300 itens que compõem a exposição e chegou à conclusão de que é preciso ver tudo isso com os próprios olhos para entender a grandiosidade desse camaleão do rock. Logo na entrada, o visitante lê um aviso para não esquecer de pegar o fone, porque “ele é fundamental para ter uma experiência sensorial completa” – já bate aquele friozinho na barriga, aquela expectativa. E é verdade. Com o fone, é possível mergulhar no “universo Bowie” em cada espaço temático sem qualquer interferência. São inúmeros personagens e performances lendárias do astro para ver e ouvir intensamente.
Ao mesmo tempo em que é possível acompanhar suas influências artísticas e experiências com o surrealismo, o expressionismo alemão, a mímica e o teatro Kabuki, a exposição também revela intimidades de seu processo criativo e como sua obra influenciou diversos movimentos artísticos. “Bowie é internacional, global e ‘very british’”, brincou Alex Ellis, embaixador do Reino Unido.
Para completar, a mostra no Brasil tem, com exclusividade, um karaokê que o MIS montou para quem quiser soltar a voz e cantar grandes sucessos do cantor, como “Let’s Dance”, “Life on Mars?” e “Heroes”, hits que alavancaram as vendas de seus álbuns, atualmente na marca de 140 milhões.


E ainda vem muita coisa por aí! Durante o período expositivo, a programação paralela do MIS será inspirada na mostra. O museu promete oferecer uma extensa programação relacionada a David Bowie, incluindo os programas regulares, como a festa Green Sunset, o Cinematographo e o Estéreo MIS. O público ainda será presentado com mostra cinematográfica composta por todos os filmes de que o artista participou. 
Abaixo, para entrar no clima, assista ao videoclipe do clássico “Let’s Dance”, do álbum homônimo de 1983:


Postagens mais visitadas deste blog

AS GRANDES PARCERIAS DE JOHN LENNON NO "ALÉM-BEATLES"

As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles”Como compositor, John Lennon levou Elton John e David Bowie ao topo das paradas. Como músico, ele conseguiu se entrosar com Frank Zappa e Chuck Berry, e “brincou” de supergrupo com Eric Clapton, Keith Richards e Mitch Mitchell. Na conta de encontros musicais “além-Beatles” de Lennon ainda consta o baterista do Yes Alan White e a eterna companheira, musa e parceira de composição Yoko Ono. A seguir, conheça as grandes colaborações de Lennon ao se excetuar o trabalho dele nos Beatles.

Por Lucas Brêda
As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles” Yoko Ono

A mais frutífera parceria de John Lennon depois de Paul McCartney é também a mais polêmica delas. Detestada por ex-integrantes, produtores e engenheiros de som dos Beatles (e basicamente boa parte do resto do mundo), Yoko Ono não só deu nome à principal banda que acompanhou Lennon em carreira solo (a Plastic Ono Band) como dividiu a autoria de canções como “Oh My Love” (Imagine), “…

24 ÁLBUNS PRA MANJAR MAIS QUE O SUFICIENTE SOBRE POST-ROCK

24 álbuns pra manjar mais que o suficiente sobre post-rockTudo o que era pra ser rock, mas não é
A história do gênero começou entre o finalzinho dos anos 80 e começo dos anos 90 e, como qualquer estilo, teve altos e baixos. De um tempo pra cá, no entanto, voltou a pipocar nos fones alheios, principalmente por causa de serviços como o Spotify, que disponibilizou várias playlists de post-rock. Meus amigos, por exemplo, adoram ouvir o som enquanto trabalham, embora não saibam exatamente o que estão ouvindo. Devo ter deixado, por descuido e não por maldade, alguns nomes importantes fora da lista. IsisMONO65daysofstatic e outros tantos. Por isso convido você a acrescentar outras bandas nos comentários. Com certeza será bem enriquecedor pra mim e para os outros leitores. Comecemos então definindo o que é post-rockO termo foi utilizado pela primeira vez em março 1994, batizado pelo jornalista Simon Reynolds, na resenha do álbum Hex, da banda Bark Psychosis, para a revista britânica Mojo. Doi…

PAUL MCCARTNEY : O MAIOR POPSTAR DO MUNDO

Foto de divulgação

Paul McCartney: o maior popstar do mundo

A maior noção da história do rock é a de que “tudo começou com Elvis” (Presley). Primeiro ídolo e pai do rock’n’roll, Elvis ficou para a história mais pelo ícone que representa do que pela música em si. Apaixonados por Elvis, como todos que começaram a fazer música estimulados pelo nascimento do rock’n’roll, os Beatles tornaram-se mito ainda nos anos 1960 – com seu denso trabalho autoral, numa discografia consideravelmente longa para seus meros oito anos de atividade no mercado fonográfico.

Se John Lennon era a alma dos Beatles, Paul McCartney era a música. E é com isso que há quase 50 anos o inglês James Paul McCartney encanta platéias mundo afora. Considerado o mais musical dos Beatles, e o mais melodioso da dupla Lennon & McCartney, Paul é responsável por inúmeras das maiores pérolas da banda. Em brilhante carreira solo há exatos 40 anos, desde o fim dos Beatles, Paul acumula extensa discografia – que inclui todos os dis…