Pular para o conteúdo principal

AS DEZ GUITARRAS MAIS CONHECIDAS PARA VOCÊ RELEMBRAR



Fender Telecaster, Gibson Les Paul, Gibson SG, Fender Stratocaster, Gibson ES-335. Aquelas guitarras que fizeram o que nós entendemos por rock. Os sons aos quais estamos mais habituados, com certeza.
É mais fácil listar quem não as utilizou do que quem usou.
Fiz uma lista não só com as guitarras mais famosas, não só as mais usadas, nem mesmo as melhores, mas sim aquelas que estiveram presentes nos momentos mais importantes do rock. Aquelas que fizeram história. Aquelas que estiveram no dia e hora que você gostaria de ter visto com seus próprios olhos.
Elas são mais do que testemunhas. São também protagonistas destes momentos, mas nem sempre receberam o devido crédito.
Pois bem, agora vai.

Rickenbacker 325

John e a sua mais valiosa posse
John e a sua mais valiosa posse
Esta guitarra pertenceu a John Lennon. Foi a primeira. O jornalista Ray Colemann, certa vez, perguntou a Lennon, qual sua posse mais valiosa. E ele disse:
“Minha primeira Rickenbacker. Eu a comprei na Alemanha em prestações. Não importa quanto tenha custado, era muito dinheiro pra mim.”
Esta guitarra viu todos os primeiros shows dos Beatles. Sim, incluindo o primeirão. Participou das primeiras gravações até 1964, quando os Beatles apareceram no Ed Sullivan Show. Só então ela foi substituída e tornou-se artigo na coleção pessoal de Lennon.

Teisco Del Rey

Eddie Van Halen, sua guitarra e sua mãe
Eddie Van Halen, sua guitarra e sua mãe
Uma guitarra vagabunda. Ruim. A ideia por trás do conceito era levar a guitarra a todos. Entre estes “todos” que esta marca atingiu, estava Eddie Van Halen. Esta foi a primeira guitarra a pertencer ao então jovem mancebo aspirante a guitarrista. Custou apenas 70 doletas.

Mosrite Ventures II

Não importa que não dê pra tocar direito. Quanto mais embaixo a guitarra, melhor
Não importa que não dê pra tocar direito. Quanto mais embaixo a guitarra, melhor

Ramones não é uma banda conhecida por suas guitarras virtuosas. Definitivamente não. Mas, convenhamos, era divertido pra caralho, com canções poderosíssimas. Este modelo definiu o som da banda. Ou seja, cada vez que os Ramones estiveram em estúdio, gravando ou tocando, ela estava lá. E você não.

Epiphone Casino

É ela ali com o John
É ela ali com o John
Se a Rickenbacker 325 viu os Beatles começarem, esta viu o último show, o Rooftop Concert. Definitivamente, um dos grandes momentos musicais para se estar por perto. Ela era a favorita do Paul para gravações. John e George também gostaram e compraram as suas próprias. Se eles gostavam, com certeza deve haver um motivo.

Gibson Explorer


Ok, U2 talvez não seja lá uma unanimidade. E eu aposto que seja pela excessiva exposição que eles tiveram por muito tempo. Mas, convenhamos, The Edge é um arquiteto dos efeitos. Se há uma coisa que ele sabe fazer bem é tornar sua guitarra muito maior do que ela realmente é, apenas explorando a parafernalha que ele tem. A Explorer foi a primeira guitarra do The Edge, comprada de segunda mão. E foi nela que ele gravou o primeiro álbum do U2.
Esta guitarra também foi usada por Allen Collins no solo de Freebird, do Lynyrd Skynyrd. Se você nunca ouviu, por favor, faça isso agora.

Supro Dual Tone

Este é Link Wray e a sua Supro Dual Tone
Este é Link Wray e a sua Supro Dual Tone
Grandes chances de que você nunca tenha ouvido falar de Link Wray. Mas ele fez o que, pra mim, é uma das músicas mais poderosas, firmes e, ao mesmo tempo, soberbas da história do rock. E Jimmy Page concorda comigo.
Uma das gravações que mais influenciaram o jovem Jimmy e que, definitivamente, marcaram até mesmo a forma como ele timbrava seu próprio instrumento é o instrumental de Link Wray chamado “Rumble”. Mais uma daquelas músicas que você precisa ouvir. E pode ver o Jimmy Page ouvindo aqui também.

Vox Phantom

Tábua de carne com cordas. Mas uma tábua que o Jimmy Page tocou
Tábua de carne com cordas. Mas uma tábua que o Jimmy Page tocou.
Essa daqui merecia um prêmio de guitarra mais estranha do mundo. O design dela é, no mínimo, controverso. Mas Jimmy Page usou uma versão de 12 cordas dela para gravar “Thank You“, no Volume II do Led Zeppelin. Além disso, foi uma das guitarras favoritas de Dave Davies do The Kinks.

Brian May Red Special

Companheira para a vida inteira
Companheira para a vida inteira
Esta tem uma história bem bonita. É um projeto de Brian May com seu pai. Hoje é uma das guitarras com o timbre e aparência mais marcantes da história do rock. Artigo único. Tão único que, assim que você a ouve, sabe que está ouvindo Queen.
É até bastante interessante, afinal, tem gente que tem dificuldades com o som da guitarra do Queen. O motivo é este instrumento, com suas próprias vantagens e desvantagens. Mas, claro, a gente precisa lembrar que ela esteve lá, mesmo que como espectadora, sempre que o Fred Mercury fazia milhares de seres cantarem em uníssono.

Valco Airline JB Hutto

White Stripes
Esta guitarra é – falando em termos bem grosseiros – feita de plástico oco. Tem tudo para ser uma bosta, era distribuída pelo correio e custava $99,99. Mas, por algum milagre, tornou-se popular nas mãos de Jack White, anos depois da fábrica falir. Se você já ouviu alguma coisa do White Stripes, com certeza ouviu esta guitarra. E, sim, ela estava lá quando tudo acabou.

Regvlvs

Arnaldo Baptista, Rita Lee, Sergio Dias e a Regvlvs amaldiçoada
Arnaldo Baptista, Rita Lee, Sergio Dias e a Regvlvs amaldiçoada
A primeira Regvlvs, também conhecida como “Guitarra de Ouro” foi a guitarra principal de Sérgio Dias Batista, nos Mutantes. Consta nela uma série de efeitos e especificações técnicas – incluindo estudos da forma, com curvaturas semelhantes à dos violinos Stradivarivs – que a tornam uma guitarra única, além de uma maldição gravada em ouro, que gerou uma série de lendas na época.
“Que todo aquele que desrespeitar a integridade deste instrumento, procurar ou conseguir possuí-lo ilicitamente, ou que dele fizer comentários difamatórios, construir ou tentar construir uma cópia sua, não sendo seu legítimo criador, enfim, que não se mantiver na condição de mero observador submisso em relação ao mesmo, seja perseguido pelas forças do Mal até que a elas pertença total e eternamente. E que o instrumento retorne intacto a seu legítimo possuidor, indicado por aquele que o construiu.”
Sem dúvida, muito importante para a sonoridade da banda.
Ou seja, sabe todo aquele rebuliço da tropicália e demais mitos, boatos e histórias ao redor dos Mutantes? Ela estava lá quando tudo estava acontecendo.
E aí, quais guitarras vocês adicionariam à lista?

por Luciano Ribeiro

Fonte:http://papodehomem.com.br/as-10-guitarras-mais-conhecidas-que-ninguem-conhece-listas-descaralhantes-15/

Postagens mais visitadas deste blog

SEXO,DROGAS & ROCK AND ROLL

Sex, Drugs & Rock and roll
POR • 10 MAR 2017Sua Only Rock and Sex mas eu gostoQuando você olha para uma cerimônia de premiação em um muito jovem cantora pop criado por gravadoras passando a mão sentiu (aqueles com os quais estágios geléia) por uma calcinha branca que mostram através de sua depilação brasileira ao remover a língua em tentativa de estudou chocar e excitar as massas, não pode , mas pensar nisso mítica final de março 1973, quando a gravadora sueca Metronome registros deu Led Zeppelin discos de ouro para seu quinto álbum; Casas do Santo . Havia quatro membros , com seus registros na mão posando antes da câmera Bengt H. Malmqvist , enquanto em primeiro plano, um par porra vivo deitado em uma cama. Sugá-lo e não um martelo, Miley . Ninguém contesta que outros gêneros têm sido a trilha sonora de muitas noites de amor r; mas se falamos de sexo e apenas sexo (sex contemporânea, pelo menos, saber o que os romanos ouvido em suas orgias) trilha sonora é rock…

ERA TUDO HEAVY METAL FAROFA

Era tudo HeavyMetal farofa
Lá pela metade dos anos 80 apareceram bandas que traziam uma nova releitura do glam-rock. Exagerando mais ainda no visual, e um som mais pesado, do que seus modelos dos anos 70, o estilo, portanto, passou a ser chamado de glam-metal.
Enquanto o New York Dolls pareciam travestis sujos e malvados e tocavam um rock and roll de garagem, a nova turma glam estava mais para boneca barbie e lavavam os cabelos com Grecin 2000 – daí o termo Hair Metal, na verdade um termo depreciativo. O pessoal do Trash Metal tachava-os de posers ou falso-metal. Bobagem! A música muitas vezes não passava de um Hard Rock pomposo, com muitas power ballads.
Por outro lado, desenvolveu-se nesse meio um outro subgênero o Pop-Metal - bandas com visual menos andrógino e com letras visando menos sexo, bebedeiras e festas. Talvez a banda que melhor traduz esse estilo seja os ingleses do Def Leppard. Eles começaram com uma pegada bem New Wave of British Heavy Metal (NWBHM), mas, aos poucos, foram…

AS GRANDES PARCERIAS DE JOHN LENNON NO "ALÉM-BEATLES"

As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles”Como compositor, John Lennon levou Elton John e David Bowie ao topo das paradas. Como músico, ele conseguiu se entrosar com Frank Zappa e Chuck Berry, e “brincou” de supergrupo com Eric Clapton, Keith Richards e Mitch Mitchell. Na conta de encontros musicais “além-Beatles” de Lennon ainda consta o baterista do Yes Alan White e a eterna companheira, musa e parceira de composição Yoko Ono. A seguir, conheça as grandes colaborações de Lennon ao se excetuar o trabalho dele nos Beatles.

Por Lucas Brêda
As grandes parcerias de John Lennon no “além-Beatles” Yoko Ono

A mais frutífera parceria de John Lennon depois de Paul McCartney é também a mais polêmica delas. Detestada por ex-integrantes, produtores e engenheiros de som dos Beatles (e basicamente boa parte do resto do mundo), Yoko Ono não só deu nome à principal banda que acompanhou Lennon em carreira solo (a Plastic Ono Band) como dividiu a autoria de canções como “Oh My Love” (Imagine), “…